Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

VerSaTilidades II

Então, para melhor entender o que é e quais as vantagens (e possivelmente mais tarde compreender algumas das desvantagens) dum Instrumento Musical Virtual (aka VSTi ou soft-synth/sampler), penso que o melhor será dar uma ideia do que é ter e usar instrumentos musicais electrónicos "reais" (aka hardware synths/samplers).

 

Quem conhece bem Goldfrapp, certamente irá reconhecer um dos seus elementos, Will Gregory, que nestes dois videos, dá uma breve amostra dos vários instrumentos que possui no seu estudio pessoal:

 

 

Para os que tiveram a curiosidade de ver algum destes videos, uma coisa salta à vista: Instrumentos musicais electrónicos ocupam espaço. E... muitos instrumentos musicais ocupam muito espaço (é a lógica da batata, ou... amido, portanto! E já se sabe, amido do meu amido, meu amido é! %P errr...desculpem, estas coisas saiem-me :$ ...ok, adiante).

Exemplo dum sintetizador (hardware-synth): Oberheim OB12

Ora, para um musico, especialmente quando se dedica a dar espetaculos ao vivo (mas não só), uma das trabalheiras é escolher meticulosamente quais os instrumentos que vale a pena levar, andar com eles atrás, rezar para que nenhum se estrague pelo caminho (pois isso implicaria a falta de certos sons usados n'algumas musicas), depois montar tudo, ligar os cabos todos, etc, etc... imaginam agora o pesadelo que não é andar com esta parafernália toda atrás.

Vintage: Moog modular system

Quem já passou por isto, deve ter pensado muitas vezes algo como:

 

"Mas quando é que alguém inventa uma maneira de encolher esta tralha toda de maneira a caber debaixo do braço pá ?"

 

É aquí que entram os computadores e os VST's, que mais não são que programas informáticos (software) construidos obedecendo a determinadas regras, permitindo assim serem utilizados como módulos num conjunto mais complexo de programas que conseguem formar um estudio musical virtual, ou seja, fica quase tudo dentro do computador (portatil p'ra quem queira andar com isto debaixo do braço).

 

Então, um VSTi não é mais que um programa que consegue gerar som, habitualmente recebendo as notas ora dum teclado musical externo (teclado MIDI), ora dum programa especial (sequenciador ou DAW) que tem por função gravar e reproduzir essas mesmas notas e as injectar nos vários VSTis que estejam sob o seu comando.

 Vintage: Fairlight CMI sampler/music computer system

Isto é possivel nos dias de hoje graças aos componentes de geração de som (placas de som) usados nos computadores terem melhorado consideravelmente de qualidade e rapidez nos ultimos anos, bem como os próprios computadores que também esses vão dando saltos tecnológicos em termos de quantidade de memoria disponivel (vital nos Samplers) como na velocidade de processamento (vital nos Sintetizadores).

 

Este post já vai longo, por isso deixarei para um proximo a explicação do que é um Sampler, um Sintetizador, qual a diferença entre um VST e um VSTi e tentar explicar como experimentar no vosso próprio computador, um VST :)

Edirol PCR-M1 MIDI Keyboard 

Deixo apenas aqui um exemplo dos tais teclados MIDI que falei, (quase) essenciais para um uso normal dos VSTi's:

 

 

Neste ultimo video, já dá até para ver a interacção dum teclado MIDI com um VSTi :)

sinto-me:
música: Goldfrapp - Pilots
publicado por Koshdukai às 14:46
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

:)

:pesquisar

 

:Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

:posts recentes ^ topo

: VerSaTilidades II

:arquivos

: Agosto 2016

: Janeiro 2016

: Maio 2013

: Janeiro 2012

: Janeiro 2011

: Dezembro 2009

: Dezembro 2008

: Novembro 2008

: Outubro 2008

: Setembro 2008

: Agosto 2008

: Julho 2008

: Abril 2008

: Março 2008

: Dezembro 2007

: Novembro 2007

: Outubro 2007

: Setembro 2007

: Agosto 2007

:tags

: todas as tags

:mais sobre mim

:favoritos

: Clara no Metro

:subscrever feeds